terça-feira, junho 28

O trabalho de luto

"Porque faz parte, porque sofrer com o que nos dói é, além de humano, adaptativo, não se percebe o considerando colectivo de que o trabalho de luto se deve evitar, despachar, esconder sob o efeito de quaisquer pílulas mágicas.
Que o nosso mundo é rápido e aflito já se sabe. Que dessa urgência voraz tenha de resultar uma embriaguez dos sentidos, que negue tudo o que tem significado para cada um de nós, já dá para discutir. É que por cada luto que fica por fazer, se adia ou paralisa, por cada encolher de ombros que evita o mergulho na tristeza, cresce em nós uma pasta de assuntos pendentes, que vamos acartando, vida fora, cada vez mais densa e mais pesada. E um dia, seguramente, a casa vai abaixo, ou vamos nós".

Isabel Leal

Quantas vezes o não fazermos o luto nos impede de ir em frente?

7 Comments:

Blogger Jorge said...

Porquê pensar na morte?
AfinaL ela é inexorável e como tal basta que a encaremos no dia em que chegar.

11:09 da tarde  
Blogger Pamina said...

Enterrar os mortos, chorar o que houver para chorar e seguir em frente. É mais fácil de dizer do que de pôr em prática.

12:02 da manhã  
Blogger Anna^ said...

A minha análise deste luto q aqui se fala n é somente o luto pelos mortos,mas sim um luto mais global...um "luto" de um amor perdido...de uma amizade acabada.
Tudo leva o seu tempo...há cicatrizes q têm q sarar...sentimentos q têm q ter retorno...ou não...isso o tempo o dirá...e ajudará.
"Quantas vezes o não fazermos o luto nos faz bater de frente?"
Resumindo e baralhando sou a favor do "luto".

bjokas andorinha e uma boa noite ":o)

12:41 da manhã  
Blogger andorinha said...

Anna^,
Também sou dessa opinião; é dum luto mais global que aqui se fala.
E como dizes, há cicatrizes que têm que sarar para se poder seguir em frente.
Também sou a favor do "luto".
Beijinho.:)

5:33 da tarde  
Blogger Pamina said...

Anna^ e Andorinha,

Concordo com vocês que o texto da Isabel Leal, não se refere apenas ao luto quando falece uma pessoa no sentido literal, mas continuo a dizer o mesmo que em cima.

Beijinhos para vocês.

7:17 da tarde  
Blogger andorinha said...

Pamina,
Claro que o que dizes em cima faz todo o sentido. E é mais fácil dizê-lo do que pô-lo em prática.
Beijinho.

11:03 da tarde  
Blogger escrevinhador said...

Rigorosamente de acordo. Isto até me faz lembrar aquela velha máxima segundo a qual os homens não choram. Parece que agora há quem a queira alargar a todos. Que diabo?! Então não é o Direito à tristeza e sua expressão um Direito? Fazer o luto é necessário. E mostrá-lo é um direito.

7:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home