quinta-feira, maio 12

A vida

"Não é raro que os grandes sofrimentos da vida sejam factores de desenvolvimento de qualidades humanas e de abertura espiritual, provocando uma mudança radical no decurso da nossa existência."
Tsering Paldrön, A alquimia da dor

Muitas vezes só depois de uma doença grave ou de algo que nos tenha afectado seriamente a vida é que nos damos conta do quão preciosa ela é. Agimos como se nos fosse dada uma segunda oportunidade. Porque não aproveitar bem logo a primeira?
Porquê valorizarmos ninharias, rancores e mesquinhices que nenhum sentido têm, gastando energias inutilmente quando há tanto de bom que poderia ser melhor aproveitado?

7 Comments:

Anonymous EU said...

Estiveste a ler "aquele texto" que te mandei e que fala do medo da doença?
Beijinho grande
EU

(tu sabes quem sou... Quando quiseres falar comigo chamas-me TU)

11:18 da tarde  
Blogger Maite said...

Bom dia Andorinha
Gostei de ler este teu post. Não poderia estar mais de acordo.

1:19 da tarde  
Blogger AS said...

É bem verdade o que dizes!... Pensamos sempre que as coisas só acontecem aos outros...

Um beijo e bom fim de semana

1:24 da tarde  
Blogger Ale (mestressan) said...

Bom dia doce Andorinha! concordo com vc...procuro só alimentar sentimentos de amor e carinho! beijinho (ALE)

2:05 da tarde  
Blogger Carlos said...

como cá por casa sabemos isso tão bem!....

como eu dizia:

bibe a bida, carago!

já há dias disse e repito:
a vida são dois dias e este está-se a acabar!

Xi

4:08 da tarde  
Blogger andorinha said...

A todos,
Bom fim de semana.:)

Solrac,
Porque dizes - Bibe a bida, carago?
Eu não sou do Porto, não falo assim.:)
Embora viva em Guimarães, sou alfacinha.

6:33 da tarde  
Blogger PortoCroft said...

Andorinha,

Permite-me discordar. Também eu estava convencido de ser assim mas, nem sempre. Recentemente, cheguei a conclusão diferente: Os grandes sofrimentos da vida, em alguns, provocam azedumes irreversíveis.

3:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home