sábado, janeiro 12

Numa noite de sábado...

Outros terão
Um lar, quem saiba, amor, paz, um amigo.
A inteira, negra e fria solidão
Está comigo.

A outros talvez
Há alguma coisa quente, igual, afim
No mundo real. Não chega nunca a vez
Para mim.

"Que importa?"
Digo, mas só Deus sabe que o não creio.
Nem um casual mendigo à minha porta
Sentar-se veio.

"Quem tem de ser?"
Não sofre menos quem o reconhece.
Sofre quem finge desprezar sofrer
Pois não esquece.

Isto até quando?
Só tenho por consolação
Que os olhos se me vão acostumando
À escuridão.

Fernando Pessoa

17 Comments:

Blogger Sunshine said...

Ai Fernando Pessoa, Fernando Pessoa...
Como conseguiu ele escrever deste modo? Leio-o e não consigo deixar de ficar arrepiada. Acho-o com uma sensibilidade, por vezes, tão próxima da feminina.
Asndorinha,não deixe que os seus olhos se acostumem à escuridão, precisa deles para voar.
Uma boa semana.

12:06 da manhã  
Blogger Ariel d'Angouleme said...

Pessoa tem disto.
Conhecemos a obra e já muito lemos e ouvimos acerca do mestre... mas se o seu nome aparece no final de qualquer algo, já o olhar brilha de satisfação.

Eu penso que, relativamente ao texto, ele refere dois que são um só (para variar): o "eu que vivo" e o "eu que sonho". E isso pode ver-se pela distinção que ele faz através do uso das palavras "No mundo real".
Quero pensar assim.
Ele não tinha apenas personagens na cabeça ou amigos imaginários... tinha mundos, certamente... e nenhum deles foi real...

Sabemos que as noites de sábado costumam ser as mais agitadas.
E nem essa realidade o atingiu.

Beijos*

11:46 da manhã  
Blogger LNeves said...

O Ser Humano, É com o próximo... Ninguém vive bem sozinho...!!!

***MUAH***

6:30 da tarde  
Blogger Lux Caldron said...

Fernando Pessoa... (preciso comentar???)

Dark kiss*

11:56 da tarde  
Blogger lobices said...

...Amiga: obrigado pela visita :)*
(lembrando um teu comentário antes das férias, em que dizias para eu gozar até ao tutano (lol), se não gozei até ele, pelo menos foi até ao osso (lol)...)
...um beijinho

10:30 da manhã  
Blogger AQUILES said...

«Que os olhos se me vão acostumando
À escuridão.»

Agora adapte-se este poema à falha da solidariedade geral sócio-política.

8:21 da tarde  
Blogger Jeust said...

e acaba por se adaptar... A realidade encontra sempre a sua expressão no indivíduo.

Um grande poema...

Para mim ele fala em contraposição dele e da sociedade, que pensa cercá-lo.

Ai está um problema grave da sociedade moderna: a solidão.

Não em si, mas na forma como a vivemos.

Em boa medida não sabemos viver com a solidão. Ela colhe-nos os sentidos, a alma e o coração.

O poema também é isso... insatisfação.

Há que seguir o conselho do post anterior...

"Não queiras saber tudo. Deixa um espaço livre para te saberes a ti."

Beijinhos e abraços

e um beijinho especial para ti, andorinha

10:34 da tarde  
Blogger Rosa said...

Sozinho... chato, vá! :)
Beijocas, Dra!

12:16 da tarde  
Blogger andorinha said...

Sunshine,
Perguntas bem.
Pessoa escreveu como só os génios conseguem.

Quanto a mim, vou tentando ter os olhos abertos, sim.
Boa semana para ti também.
Um beijinho.

Ariel,
Depois do teu comentário, que posso eu dizer?!
Ele tinha vários "mundos", vários "eus", sem dúvida.

Beijos*

Ineves,
Bem acompanhado está-se melhor, isso é verdade:)

Lux,
Preguiçoso:)))))))

Beijo*

Lobices,
Fico contente, amigo.
Beijo grande.

Aquiles,
Hoje não adapto, não me apetece:)))

Jeust,
Concordo contigo. Não sabemos viver com a solidão, de facto, porque desaprendemos de viver connosco.
Esse é o ponto fulcral.

Um bejinho (não especial, senão a Francisca "mata-me") :)))))))))

Rosa,
Dra?
Que é isso?
Senhora Doutora Andorinha, fáxabor!
:))))))))

7:32 da tarde  
Blogger Su said...

como eu gosto de fpessoa

e gosto de ti


jocas maradas...sempre

7:38 da tarde  
Blogger Lux Caldron said...

"Ai que prazer
Não cumprir um dever..."

:)=

8:24 da tarde  
Blogger wind said...

Sempre a angustia do "Mestre".
Beijos

8:54 da tarde  
Blogger andorinha said...

Su,

Tens bons gostos:)))
jocas maradas

Lux,
Tens sempre resposta, pá:)
Mas não deixas de ter razão...

Wind,
É mesmo:)
Beijos

10:26 da tarde  
Blogger un dress said...

a vida é feita de luz e sombra. tudo é belo.

há que dizê-lo bem claro.

a maior parte de nós está só e só continuará.

aqui falamos um pouco, digo eu.

e somos ~


:)

11:27 da tarde  
Blogger mariazinha said...

quando os olhos se acostumam à escuridão, vê-se melhor...

...ou não...?

beijo*

1:09 da manhã  
Blogger Lux Caldron said...

Andorinha. Apaguei o teu comentário sem querer... desculpa.

2:31 da manhã  
Blogger andorinha said...

Lux,
Vou pensar no teu caso...:)))))))

7:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home