terça-feira, setembro 13

Pudesse eu

Hoje deixo-vos um poema de que gosto bastante.

Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!

Sophia de Mello Breyner

8 Comments:

Blogger Quit Smoking said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

10:53 da tarde  
Blogger wind said...

É demais este poema:) bjs

11:40 da tarde  
Blogger Anna^ said...

"...suspensos na surpresa dos instantes." Tão lindo :)

bjokas ":o)

12:32 da manhã  
Blogger terragel said...

Andorinha, esse poema é pura genialidade, lindo.

Bjs

4:17 da manhã  
Blogger andorinha said...

Wind, Anna^e terragel,

Lindo, genial, acho que não há adjectivos sufucientes.:)
Lê-se e sente-se.
Bjs.

9:00 da tarde  
Blogger Su said...

amei/gostei/adorei ... ler este poema... como bem o dizes temos de o sentir
jocas

11:09 da tarde  
Blogger Ricardo said...

fantástico, aliás como todos os poemas desta grande poetisa... Yb tenho poemas dela no meu blog...

Fazem-me pensar...

9:57 da manhã  
Blogger andorinha said...

su,
Bem vinda!
É a tua primeira visita, né?:)
Jocas.

ricardo,
É bom quando o que lemos nos faz pensar...

12:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home