sexta-feira, setembro 2

Rita...

... olhava para o desenho e não entendia como tinha sido possível a mãe não gostar dele. Estava lá tudo: a árvore cheia de folhas, o rouxinol a cantar em cima dos ramos e a mãe em baixo, com o saco de compras a chegar do supermercado. Estava tão bonita a mãe naquele desenho!
Mas a mãe olhara para o desenho e dissera apenas:
"Que riscos são esses? Se fosses fazer os trabalhos de casa em vez de perderes tempo com essas porcarias..."

Às vezes basta um olhar frio, palavras azedas, para o mundo ficar incompreensível. Sobretudo quando se é criança e os adultos são um país estranho.

11 Comments:

Blogger Anna^ said...

olá andorinha :)

Tb me tocou muito essa "história" da Alice Vieira...aliás tb usei a última parte como post.(9 de Agosto)
E afinal as crianças às vezes pedem tão pouco...

bom fds e bjokas ":o)

7:42 da tarde  
Blogger andorinha said...

Anna^,
Por puro esquecimento, não mencionei o nome da Alice Vieira.
Gostei do texto que me fez pensar em quantas vezes destruimos (seja por que razão for) os sonhos das nossas crianças.
Beijinhos e
bom fds.:)

9:47 da tarde  
Blogger Pamina said...

Que frase tão cruel.
O teu post fez-me lembrar uma professora que tive na primária e a reacção dela a uma surpresa (uns lacinhos de pratas de chocolates) que lhe fizémos no dia dos anos dela. Ficou zangada quando os viu em cima da secretária e perguntou-nos para que é que havia de querer aquela porcaria.
Palavra de honra que isto é autêntico. Nós tínhamos sacrificado as nossas pratazinhas que costumávamos ter dentro dos livros. Foi um balde de água fria.

Abaixo este género de atitudes! Vivam as crianças!

Beijinhos e bom fds.

10:57 da tarde  
Blogger Cláudia said...

Às vezes as coisas mais simples são as que custam mais a sair espontaneamente. Os adultos andam quase sempre tão embrenhados nos seus mundos complicados e problemáticos que parecem esquecer-se que as crianças também têm o seu mundo. E que nele precisam de atenção e disponibilidade. Assim como todos os adultos precisaram quando eram, também eles, crianças.

Beijo e bom fim de semana ***

12:24 da tarde  
Blogger andorinha said...

Pamina,
Sem dúvida. vivam as crianças.
Atitudes como as dessa professora são para esquecer.
Beijinho

Cláudia,
O mal é muitas vezes esquecermo-nos que também já fomos crianças...
Beijinho e bom fds.:)

7:45 da tarde  
Blogger wind said...

Os adultos conseguem ser cruéis com as crianças, infelizmente:( beijos

10:23 da tarde  
Blogger HarryHaller said...

Uma mãe indiferente é meio caminho para a loucura, se o pai for incapaz de amor, temos o caminho completo.

Lobo das Estepes

11:43 da manhã  
Blogger HarryHaller said...

Nunca consegui perceber muito bem,essa do cérebro e do coração humano terem sexo!

Lobo das Estepes

4:49 da tarde  
Blogger HarryHaller said...

Peço desculpa a todos, especialmente à andorinha, mas, esse meu último comentário está localmente deslocado, era para colocar no blog "murcon", assim sendo, dêm-no como inexistente para os devidos efeitos.

Lobo das Estepes

5:33 da tarde  
Blogger Rosa said...

E os adultos são, quase sempre, um país estranho... Malheureusement... :/

6:34 da tarde  
Blogger andorinha said...

Wind,
Continua a ser uma realidade, infelizmente.

harryhaller,
Concordo, Lobo das estepes.
Já me confundes com o Murcon?:)))

Rosa,
E somos, unfortunately...:(

6:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home