segunda-feira, junho 11

A mulher no seu esplendor

É cálida flor
E trópica mansamente
De leite entreaberta às tuas
Mãos

Feltro das pétalas que por dentro
Tem o felpo das pálpebras
Da língua a lentidão

Guelra do corpo
Pulmão que não respira

Dobada em muco
Tecida em água

Flor carnívora voraz do próprio
suco
No ventre entorpecida
Nas pernas sequestrada

A vagina, Maria Teresa Horta

11 Comments:

Blogger gasolina said...

OLá Andorinha!

O que mais me encanta neste poema é a ausência de pontuação. Podemos brincar com as palavras e desenhar frases muito expressivas, quase óbvias ou "à la Barthes" impregná-las de sedução.

Deixo um beijo.
Fica bem.

12:27 da manhã  
Blogger wind said...

Manífico como ela descreve tudo metaforicamente.
Para mim é umas das melhores escritoras eróticas do feminino:)
Beijos

12:15 da tarde  
Blogger Sirk said...

Ui! A menina anda despir os preconceitos, que é como quem diz a mudar de pena.
(estive quase para escrever pénis em vez de pena, mas depois pensei...e se ela não gosta...e pronto ficou pena :$)

Olha, Andy, gosto muito de poesia erótica. Aliás, gosto de tudo o que tenha que ver com erotismo. Já deves ter notado.

Vou copiá-lo para a minha pastita de peosias favoritas. É verdade, a autora não terá feito um poema a falar de penas? São os meus preferidos :D

6:05 da tarde  
Blogger andorinha said...

gasolina,
Neste poema tudo me encanta:)
Fica bem, também,
Bjs.

Wind,
Também concordo, já sabes que "venero" MTH.
Beijos

Sirk,
Vamos lá a ver se nos entendemos:)
Despir os preconceitos até despiria de boa vontade porque é uma coisa que detesto; prefiro calças justinhas e grandes decotes:))))))

Quanto a pénis/penas, no comments!:)

Quanto ao erotismo estamos na mesma onda: também eu aprecio imenso, seja num filme, num livro, numa pintura, etc, etc.

PS: Gosto que me trates por Andy, acho ternurento.
No fundo, sou uma lamechas:)

10:12 da tarde  
Blogger PAH, nã sei! said...

Vem uma "moçoila" visitar a bela ave... e o que encontra...?????

Não sei porquê, mas lembrei-me que tenho que ir ver (muito bem ;) um filmezeco que por aí anda que acaba em 13... (enfim... sempre se descansa a vista :)

Beijoca!!

9:49 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

A virtude da comparação pela metáfora, está plenamente expressa nestes versos de M.Teresa Horta, expoente máximo da escrita erotico/sensual.

Bjs
Pepe.

6:22 da tarde  
Blogger Rosa said...

Credo, dra. doutora!
:)**** Biejos mil.

2:04 da tarde  
Blogger Su said...

gosteiiiiiiiiiiiiiiiii
excelente escolha

jocas maradas menina

11:32 da tarde  
Blogger alice said...

olá andorinha
só para dizer que ainda estou viva e vou passando por aqui de vez em quando
beijinhos
ap

10:50 da manhã  
Blogger andorinha said...

Pah,
Encontras um belo poema de MTH.
Beijoca

Pepe,
Sou da mesma opinião:)
Bjs

Rosa,
Isso é lá comentário que se faça?!
Só te dou um desconto por andares a trabalhar demais.
Kices:)

Su,
:)
jocas maradas...sempre:)

Alice,
Ai de ti que não passasses por aqui de vez em quando:))))))))
Beijo grande.

6:05 da tarde  
Anonymous fad said...

oi
parabens pela escolha
Fad

12:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home