segunda-feira, maio 21

Amor é bicho instruído

Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã

Carlos drummond de Andrade

6 Comments:

Blogger Sirk said...

Nossa! Gostei da sua fala, viu!

;)


Não domino muito bem o brasileiro, mas, penso que dá para perceber que gostei muito.
É sucinto, todavia, toca no "ponto nevrálgico".
Enfim... "crazy litlle thing called love"

11:29 da tarde  
Blogger andorinha said...

Para quem não domina o brasileiro, até que nem está mal interpretado:)

P.S. De que ponto estás a falar? Do ponto G?
Isto era um blog decente antes de tu apareceres:)))) Loooooool

Jinhos, crazy girl.

6:59 da tarde  
Blogger wind said...

Este poema de CDA az-me sempre rir, embora seja sério e bastante real:)
Beijos

8:36 da tarde  
Blogger alice said...

adoro Drummmond
quanto se esconde na aparente simplicidade das palavras
beijinhos

1:08 da tarde  
Blogger Su said...

gostei....
o brasileira está no "se estrepar":))))

jocas maradas..


"nossa que poema linduuuuuu"

10:01 da tarde  
Blogger andorinha said...

Wind,
:)
Beijos

Alice,
Também eu.
Beijinhos

Su,
Também acho linduuuuuuuu:)
jocas maradas

1:43 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home