sexta-feira, junho 8

A delação sempre habitou o lado mais negro da espécie humana

"Porque três décadas parecem ter chegado para varrer da escala de valores de tantos, que hoje detêm o poder, as referências primeiras da liberdade e da cidadania. Porque os cegou a obsessão de reduzir o défice ou, quem sabe, a ditadura apenas os incomodou por não serem eles que se sentavam na cadeira do poder."

Excerto de um artigo no Público de dia 6.
Despudoradamente surripiado:) do blog do Aquiles.
Porque achei pertinente...

6 Comments:

Blogger rouxinol de Bernardim said...

O conceito de delação pode ser interpretado de maneiras muito sui generis.
Aquilo que o prof disse, no local de trabalho, nas horas de serviço, se se provar que o disse, nos termos em que o fez, é digno de censura, seja quem for o objecto desse comentário.

Fui insultado num blogue, do piorio, durante semanas a fio, sendo acusado de coisas que nunca pratiquei. Passado este tempo todo, veio o autor destas calúnias pedir-me perdão porque se enganou e já sabe quem de facto o caluniou.

A calúnia, objectiva, agora confirmada pelo próprio (tem apenas o atenuante de à data dos factos ter sido induzido em erro por outrem...) deve ou não ter sanção criminal?

Devemos ser responsáveis pelos actos que praticamos e dos danos que causamos a outrem.

Há que responsabilizar quem, exercendo uma elevado cargo (de confiança política notória!) se esquece que a educação é para ser cumprida por todos e não só pelos educandos! Quanto mais elevado é o cargo mais responsabilização se deve pedir!

A pessoa que me caluniou, impunemente, também era professor (e mestrando...).

A Educação anda pelas ruas da amargura, é preciso ter a coragem de o DENUNCIAR!

8:22 da manhã  
Blogger wind said...

Bem pertinente e muito verdadeiro!
Beijos

11:25 da tarde  
Blogger AMMedeiros said...

Onde começa a delação e termina a liberdade de expressão...?

Onde começa o exercício do poder com a máxima dignidade e respeito pelo cidadão e termina a obsessão pelo défice...?

Pertinente, concerteza.

Dois beijos (Ana e Herói)

4:30 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"...mas prefiro continuar a gostar de mim:)"
Se calhar, por causa disso, é que a única forma de arranjares alguém que te arranque da triste solidão em que vegetas seja desmamando tipos que têm idade para ser teus filhos.
Sim, porque aqueles que têm dois dedos de testa - homens a sério, do tipo daqueles que tu gostarias de ter entre as pernas -, não te querem nem com um peeling!

PS - Mordidela de cachorro?! :))))
Isso querias tu!

2:28 da manhã  
Blogger andorinha said...

Rouxinol,
Eu penso que os valores é que andam pelas ruas da amargura hoje em dia.
Claro que concordo contigo quando afirmas que temos que ser responsáveis pelos actos que praticamos.
E continuo a dizer que um delator é para mim, um ser abjecto.

Wind,
É isso.
Beijos

Ammedeiros,
Tantas perguntas poderíamos nós colocar...
Grande beijo para ti e outro para o teu Herói.:)

anónimo,
Não costumo responder a vermes, mas hoje até abro uma excepção.
Ainda não te passou a dor de cotovelo????
Elucidativo!

E por que não assumes a tua identidade, cobarde?
Mas sempre foste assim, realmente, a cobardia já faz parte de ti.
Não queres arruinar a tua reputação, é isso?
Mas ela já não existe, pá, és um fiasco autêntico e sabes que o és.
Por mim a "conversa" termina aqui, tenho mais que fazer, por exemplo, vegetar com aqueles de quem gosto.
Mas isto já é subtileza a mais para ti.....

12:20 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Eu? Com dor de cotovelo de uma funcionárizeca pública da pior espécie?
Tem juízo.
Sim, porque há professores e depois exitem incompetentes da tua estirpe que arrastam pela lama o bom nome de uma classe.
Ao tempo que passas na net ou andas a engatar alunos ou não fazes a ponto de um corno... ou ambas!
E chamas-me a mim um fiasco?!
Isso é o que tu vês todos os dias quando te olhas ao espelho.
O que é que conseguiste na vida?!
O que é que tu produzes?
Queres a resposta: NADA!
És um ser revoltado que procura passear algo que nunca teve: charme, inteligência, cultura, sensualidade.
Arruinar a minha reputação? Ainda bem que reconheces a sua existência. :)))
O mesmo não se pode dizer de ti.

6:12 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home