quarta-feira, junho 14

E se pensássemos nisto?

"A sociedade em que vivemos é uma sociedade de comunicação, mas o que se passa é que ela é também uma sociedade fragilizada em termos de coesão social. Há famílias que têm televisão em cada uma das habitações. Há uma busca constante de relacionamentos, o caso das conexões via Internet.... As pessoas alimentam uma insatisfação permanente que as leva a estarem conectadas com uma multiplicidade de redes. Isso reflecte também uma fragmentação da identidade, uma falência da unidade do eu. Que é fruto desse desencontro de que falei, com os outros e consigo próprio."

José Machado Pais, Nos rastos da solidão

8 Comments:

Blogger thorazine said...

Não sei se sou tão pessimista como o autor afirmando que a fragmentação do "EU" é negativa para o indivíduo! Agora, acho que o pior mesmo é não saber "desfragmentar" e com o EU dar a devida importância à família e a certos amigos!

11:18 da tarde  
Blogger andorinha said...

Thorazine,
Eu acho que a fragmentação do Eu é negativa, sobretudo se não tivermos consciência dessa fragmentação.
Se há uma falência da relação connosco, muito provavelmente haverá também uma falência na relação com a família e os amigos.

12:51 da manhã  
Blogger AQUILES said...

Mas já pensámos. Já se discorreu sobre isto no murcon. Mas é bom continuarmos atentos.
Queria recomendar a quem não viu, e também para rever a quem viu, os filmes "O DECLÍNIO DO IMPÉRIO AMERICANO" na 2:, Sexta e "As Invasões Bárbaras" no Sábado.

3:03 da manhã  
Blogger wind said...

Não há que pensar, é uma realidade já existente.
A maior parte das familias já vive assim.
Se as próprias crianças já têm computadores nos quartos, cedo começam a isolar-se num mundo só deles.

beijos

3:32 da manhã  
Blogger Ana Afonso said...

Ola Andorinha
É efectivamente uma realidade que vivemos, o estar sempre contactavel mas cada vez mais emicionalmente incontactavel.
Mas será tudo assim tão negativo? Penso que o isolamento que ocorre dentro das familias e com os amigos é de facto brutalmente negativo mas a anonimicidade que existe nos relacionamentos virtuais, por exemplo, tambem pode servir para se descobrirem partes do EU escondidas ou retraidas!
Mas no geral e como ser social que somos nenhum isolamento podera ser benefico !!!
Abraços e sorrisos bom feriado.
Ana Afonso :)

9:21 da manhã  
Blogger Su said...

..é a nossa insatisfação...não há dúvida...aparentemente comunicamos muito...só aparentemente

jocas maradas

10:50 da manhã  
Blogger AMMedeiros said...

Por vezes, ainda que paradoxal nos pareça, na utilização excessiva e dispersa da comunicação global, subjaz uma incapacidade de comunicar com Outro numa relação completa, que não está escudada pelo chat, pelo mail, pelo telemóvel, pela tv-online...

Gostei muito de vir até aqui.
Um beijo

12:23 da tarde  
Blogger andorinha said...

Aquiles,
è bom continuarmos atentos e vou estar atenta às tuas sugestões:)

Wind,
Tens razão, é uma realidade já existente, mas podemos continuar a questionarmo-nos.
Beijos

Ana afonso,
Entendo o que dizes, e embora goste muito deste cantinho, prefiro sempre os relacionamentos reais aos virtuais.
Beijinhos.

Su,
tens razão...miúda:)
jocas maradas.

ammedeiros,
Subscrevo na íntegra a tua opinião.
Aparece sempre que quiseres, a porta está aberta:)

10:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home