sexta-feira, maio 19

BE contra exclusão das mulheres sós

A deputada do BE, Ana Drago, lamentou que a poucos dias do Parlamento aprovar uma lei sobre procriação medicamente assistida (PMA), não se tenha chegado a acordo sobre a "necessidade" de incluir as mulheres sós nos beneficiários dos tratamentos de infertilidade. A bloquista acusou o PS de "negar essa possibilidade às mulheres em nome de uma ideologia que só atribui legitimidade às famílias tradicionais".
Para a deputada trata-se "de uma modernidade adiada" que traria benefício a muitas situações de doença e de carência de tratamento médico que não estão enquadradas na figura familiar.

Penso que seria vantajoso que esta medida fosse extensível a todos, mas pode ser que embora lentamente se percorra esse caminho.

Bom fim-de-semana, gente:)

7 Comments:

Blogger andorinha said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

8:05 da tarde  
Blogger Pamina said...

Olá,
Em termos económicos, não sei se faria muita diferença. De qualquer modo, acho que vai demorar por razões ideológicas.
Poderá haver o recurso à adopção. Não sei exactamente o que diz essa lei, relativamente a mulheres solteiras. No outro dia, chamaram-me parva, quando eu escrevi num certo "sítio" que não achava absolutamente necessário que uma criança fosse adoptada apenas por casais (heterossexuais).

Bom fds, bem descansado. Um beijinho.

11:44 da tarde  
Blogger Aspásia said...

Olá

De facto quantas crianças não há criadas apenas por um dos pais. E pode haver muitas razôes para querer ter um filho sem ter parceiro...não será o ideal, penso eu mas quem fizer essa opção em consciência deverá ter esse direito.

Beijinhos e bons voos planados no fim de semana ventoso...:))

1:16 da manhã  
Blogger wind said...

Acho que estás a ser optimista demais. O nosso país é muito conservador porque embora não tenha nada scrito, tem o estigma da igreja por trás. Até que uma mulher sózinha possa ter direito a isso vai ser muito difícil, pois até na adopção é extremamente raro. Beijos

11:18 da manhã  
Blogger Manolo Heredia said...

Eu, que sou homem, exijo o direito à procriação médicamente assistida em homens. Os avanços da medicina certamente já permitem transplantar um útero saudável na minha barriga (ou nas minhas costas) e permitem encher-me de hormonas e outras drogas que simulem (para esse úetro) que está numa mulher. Depois é só fazer o implante do menino congelado. O parto? Cesariana!
Não á exclusão dos homens do processo de procriação assistida!

5:42 da tarde  
Blogger Ana Afonso said...

Ola Andorinha
Boa semana!
E que tal esse fim de semana?
Eu concordo com a Wind isso ja é ser muito optimista!!! No pais dos Morangos com Açucar (como eu gosto de chamar a este nosso Portugal!) nem adptar quanto mais maes solteiras medicamente assistidas !!
Nada disso há que ser é casmurro e nao deixar entrar o futuro !!! Enfim é o pais que temos com calma (muita calma) há de mudar !!!
Abraços e sorrisos
Ana Afonso :)

5:39 da tarde  
Blogger andorinha said...

Pamina,
Também acho que vai demorar; ainda não há suficiente abertura da sociedade para tal projecto.
Essas pessoas é que são parvas por terem ideias tão retrógradas, é melhor não ligar.
Beijinhos.

Aspásia,
Concordo totalmente. Quem fizesse essa opção, devia ter hipótese de a concretizar.
Beijinhos.

Wind,
É, às vezes sou optimista de mais.
E esqueço-me do país em que estou...:(
Beijos.

Ana afonso,
Olá!
O fim-de-semana foi bom, o único defeito foi passar demasiado depressa.:)
E cá estamos no início de mais uma semaninha de trabalho.
Anseio pelas férias que ainda tardam em chegar:)
Pois, quanto ao optimismo já falámos, isso já é defeito meu.
Beijinhos e boa semana para ti:)

9:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home