segunda-feira, maio 15

Riqueza franciscana

O grupo de graffiti de Setúbal ainda está espantado. Foi contactado para pintar um dos muros da comunidade franciscana da cidade. O convite partiu da Câmara Municipal, que já promoveu iniciativas semelhantes. Frei Miguel de Castro Loureiro, guardião da Fraternidade de Nossa Senhora dos Anjos, também ficou admirado 'com a receptividade deles(artistas)' Aos pintores - que já realizaram a obra - foram dados dois temas franciscanos, 'Carta a todos os fiéis' e ' Cântico das Criaturas'.
A simplicidade sempre se aproximou da inteligência: "A minha função, enquanto sacerdote e enquanto franciscano, é chegar também ao povo de Deus que não vem à Igreja", sublinha frei Miguel.

Excerto publicado em' Notícias Sábado'

11 Comments:

Blogger AQUILES said...

«A simplicidade sempre se aproximou da inteligência»

Esta sintese deveria ser entendida por muita gente. Facilitaria muito a convivência humana.

10:54 da tarde  
Blogger Pamina said...

Parece-me um exemplo do que pode acontecer quando, de parte a parte, se põem de lado preconceitos.
Um beijinho.

11:01 da tarde  
Blogger wind said...

Boa:) A arte sem preconceitos ao lado de uma igreja que tenta , nesse caso, também não os ter. beijos

12:06 da manhã  
Blogger Belzebu said...

Há sempre pontes que ligam margens aparentemente inconsiliáveis! Apesar de um simples ateu, acho óptimo que seja possivel estabelecer pontes de entendimento!

Saudações!

12:35 da manhã  
Anonymous JE said...

ou... de como os irreverentes grafitti podem ter > poder sugestivo e evocativo do q as imagens pias

ou... de como os choques e encontrões podem ser mt + energizantes do q os suaves abraços

Lembranças :)

9:45 da manhã  
Blogger Rosa said...

Apoiado!!! :)***

12:36 da tarde  
Blogger b' said...

olá andorinha,

gostei de ler :))
é sinal que nem tudo está perdido, ainda há esperança no tal mundo melhor

beijinhos

@:)

7:56 da tarde  
Blogger Anna^ said...

Quando se aceitam as diferenças assim com esta abertura é de louvar!
"A minha função, enquanto sacerdote e enquanto franciscano, é chegar também ao povo de Deus que não vem à Igreja"...ai se todos pensassem assim!!

Gostei deste post andorinha!

bjokas ":o)

11:23 da tarde  
Blogger andorinha said...

Aquiles,
Concordo:)

Pamina e Wind,
É isso, e este é um exemplo de como sem preconceitos se consegue avançar.
Beijinhos.

Belzebu,
Assim é que é falar:)
Saudações.

Je,
Ñão poderia estar mais de acordo.
Então aí vai um encontrão.:)

Rosa,
:)
Beijinhos

b',
Estes "pequenos" gestos é que vão mantendo acesa a chama:)
Beijinhos

Anna^,
Obrigada:)
Soubessemos nós ser mais tolerantes e respeitar as diferenças. The world would be a better place!:)
Beijocas.

3:46 da tarde  
Blogger APC said...

Na grande maioria dos casos, os movimentos contra-culturais têm início na revolta como consequência do sentimento de marginalização (com ou sem razões, do mais ao menos hostil). Logo, o que ficou a faltar, por muito que as defesas próprias do "marginal" e os fundamentalismos que ele sirva o tentem esconder, é o reconhecimento de si pelo outro.
Neste caso, parece que se abriu uma ponte.
Gostei do Blog :-)

8:06 da tarde  
Blogger andorinha said...

Apc,
Aqui abriu-se uma ponte, porque ambos os lados souberam construí-la.
Ainda bem que gostaste; volta sempre que queiras:)

8:44 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home