quinta-feira, abril 20

Não estou muito de acordo; e vocês?

"Recordar a felicidade já não é felicidade. Recordar a dor ainda é dor".

Lord George Byron

13 Comments:

Blogger wind said...

Se eu recordar a felicidade sorrio, logo sou feliz. Se recordar a dor, sofro, logo não quero e afasto o pensamento. Portanto discordo na parte em que recordar a felicidade não é felicidade. Beijos

7:58 da tarde  
Blogger AQUILES said...

Eu, por acaso, concordo. O recordar um tempo de felicidade, já não é o usufruir o pleno gozo dessa felicidade. Todavia a sua recordação traz-nos, com certeza, bem estar que nos permite manter outra situação de felicidade.
Agora recordar a dor é porque doi, porque o sofrimento inicial se mantém.
Pode ser retórica, mas a felicidade é mais limitada que o sofrimento.

9:13 da tarde  
Blogger o blog da Sorrir.com said...

Ola Andorinha
Na minha opinião recordar momentos de felicidade tras muita felicidade mas recordar momentos ou episodios de dor trazem tambem muita dor, as recordações têm destas coisas são os nossos DVD caseiros que nos fazem reviver e de novo sentir !!
Dos momentos de dor por vezes mais valia não haver memoria!
Bom fim de semana
Abraços e sorrisos
Ana Afonso :)

9:30 da manhã  
Blogger b' said...

bom dia andorinha,

lá diz a sabedoria popular recordar é viver (e o vitor espadinha também...)

gostei muito do comentário do aquiles 'a felicidade é mais limitada que o sofrimento

na minha opinião, os momentos em que recordamos dias felizes lembram-nos que a felicidade é possível, já aconteceu e pode voltar a acontecer
e confortam a alma nos dias tristes :)))

bjs e bom fim-de-semana
@:)

10:35 da manhã  
Blogger Rosa said...

Eu desta vez até concordo. Com o Lord Byron, mas, claro, discordo de ti! :)))

12:58 da tarde  
Blogger Aspásia said...

A felicidade de recordar felicidades passadas, não é uma felicidade 'tout court'... é mais subtil, mais etérea e pode ser encantatória, ao afastar, por momentos, uma realidade actual mais cinzenta.

No entanto, dizia Francesca da Rimini, condenada no "Inferno" de Dante:

Nessun maggior dolore che ricordarsi del tempo felice nella miseria...

Bjinhos

4:15 da tarde  
Blogger Felina said...

Também concordo com a VENTO, oups, WIND, recordar é viverm quer seja dor ou felicidade!!!

Beijos felinos!

4:55 da tarde  
Blogger mtc said...

Sorrio sempre ao recordar momentos felizes...sim, sorrio, onde quer que esteja...como é que é possível não sentir um momento de encanto ao recordar momentos felizes?
A verdadeira dor essa instala-se...é difícil esquecê-la...dizem que o tempo ajuda a sanar...
Já lá se perguntava outro dia no nosso "café" - porque não tem a dor prazo de validade?
É difícil...

Um bom fim de semana
e um beijinho

8:35 da tarde  
Blogger andorinha said...

Wind,
Sou da tua opinião, quando recordo momentos felizes, revivo essa felicidade.
Beijos

Aquiles
Tudo depende da sensibilidade de cada um, penso eu de que...:)

b',
Concordo contigo. Recordar os momentos felizes é um bom bálsamo para os dias tristonhos.
Beijinhos.

Rosa
Isso já é mesmo vontade de seres do contra.:)))

Aspásia,
Não sei...não sei...
Eu sinto-me feliz ao recordar momentos felizes.
Jinhos.

Felina,
Já somos três:)
beijinhos.

Dreamer,
Eu também sorrio sempre ao recordar momentos felizes.
Pois, a dor não tem prazo de validade, mas a felicidade também não.
A dor pode é ser mais constante, isso admito.
Beijinhos.

7:12 da tarde  
Blogger Su said...

entendi a frase no sentido que a dor é sempre mais resistente........ buaaaaaaaaaaaaaaaa vou chorar até amanha de manha....
a não ser q fça uma das minhas "maldades":)
jocas maradas
e menina linda sff de ser feliz

8:29 da tarde  
Blogger andorinha said...

Su,
Não vais nada chorar, era o que faltava!:)))
Faz uma das tuas "maldades" e pronto.
jocas maradas

10:16 da tarde  
Anonymous JE said...

A resiliência altera, revigora e reconfigura todas as experiências, inclusive as de nós próprios, ou seja, o JPP não percebe nada de trolls nem de nicks múltiplos quando usa esses estereótipos para classificar comportamentos; parece-me que julgamos comungar de uma multiplicidade de apreensões do mundo cuja comunicação é improvável, do que resulta uma felicidade e uma dor incomunicáveis e incomparáveis.

um abração virtual

12:27 da tarde  
Blogger andorinha said...

Je,
Destes cantos e recantos entendes muito mais do que eu; obrigada pela tua opinião.
Um abração.:)

7:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home