segunda-feira, janeiro 30

Escolhas

"Escolher a solidão é uma fraqueza (...)
Os fortes são aqueles que entendem os seus limites, e mesmo assim, seguem adiante"

Paulo Coelho

12 Comments:

Blogger blue kite said...

a solidão nem sempre é uma questâo de escolha...

7:06 da tarde  
Blogger wind said...

Não concordo totalmente. Há alturas em que temos de estar sós, mesmo em solidão para organizarmos as ideias, os nossos fantasmas. beijos

10:17 da tarde  
Blogger lélé said...

Detesto o Paulo Coelho, mas nesta frase dele, acredito que ele quisesse referir-se ao seguinte: é muito fácil sentirmo-nos tranquilos, serenos, quando estamos em solidão (p.ex. eremitas), mas já não é tão fácil manter essas atitudes quando vivemos no meio das pessoas. Dizer que escolher a solidão é uma fraqueza, acho uma arrogância, pois cada qual é livre de fazer a sua opção e seguir adiante.

11:23 da tarde  
Anonymous O Sical said...

A solidão é não partilhar. Nem dar nem receber. Pode-se estar integrado, mas se não se partilhar está-se só. Quantos estão sós, ou não encontram companhia, ou mesmo par adequado, pelo temor de dar?
A solidão tem muito de egoísmo, depois é só uma sequência que cristaliza no tempo, e as pessoas restam sós, porque se habituaram à atitude, já sem alternativas.

11:45 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Penso que há algumas confusões relativas ao termo "solidão". Há a conotação negativa, de estar só e abandonado, à mercê de sentimentos obscuros e deprimentes. E há a ideia de que a solidão traz vantagens, traz ponderação, por nos permitir estar mais próximos do nosso EU. Por nos permitir escutar a nossa consciência sem tanta interferência.
Tal como a leio e interpreto, não concordo com a afirmação de Coelho. Penso até que escolher a solidão pode ser sinal de grande força e coragem. Quando é uma escolha e quando é imposta. Afinal, a sabedoria consiste também na melhor adaptação possível às voltas que a vida nos dá. Digo eu... :)

S.

1:16 da manhã  
Blogger Rosa said...

Não percebi o excerto...
(mas eu hoje estou completamnete parva, e provavelmente é disso)
No entanto, relativamente à solidão, escolhê-la, às vezes, é um acto de extrema coragem, na minha opinião.

12:40 da tarde  
Anonymous Ana Afonso said...

Olá a todos
Eu gosto bastante de Paulo Coelho mas não concordo nada escolher a solidão é muito corajoso ... muitas vezes é mais corajoso que ficar com má companhia pela comodidade que dai vem !!
é só a minha opinião !!!
Abraços e sorrisos
Ana Afonso

2:22 da tarde  
Blogger Anna^ said...

Gosto muito do Paulo Coelho mas não concordo de todo com esta afirmação;
Escolher a solidão é por vezes um acto de coragem,que acarreta uma série de dificuldades acrescidas em várias matérias mas tb uma sensação de liberdade qdo essa escolha é feita conscientemente.
É como chamar acto de covardia ao suicídio...eu não acho...antes pelo contrário é um acto de grande coragem...e desespero tb!

bjokas ":o)

6:56 da tarde  
Blogger lobices said...

...Dete: só para agradecer e retribuir as tuas amáveis visitas
...um beijinho :)

7:22 da tarde  
Blogger andorinha said...

Blue kite
Claro que não; às vezes são as circunstâncias da vida que a impõem.

Wind
Concordo contigo. A frase do Paulo Coelho é controversa. Às vezes precisamos de estar a sós connosco próprios.

Lélé
Também não concordo nada que escolher a solidão seja sinal de fraqueza.

O sical,
Não sei se será bem assim...
Dizes tu que "a solidão tem muito de egoísmo".
E quando só se dá e não se recebe?
E não vejo a solidão como algo de tão negativo assim. Penso que na vida de todos nós são necessários momentos de absoluta solidão, independentemente do que se partilha com os outros.

S,
Concordo contigo - escolher ficar só pode ser sinal de grande força e coragem. E à medida que vamos vivendo vamos ganhando sabedoria nesse sentido e a adaptação às diferentes voltas da vida vai-se fazendo sem tanta dificuldade.:)

Rosa
Tás nada.:)
E tens razão. Como já disse à S., escolher a solidão pode ser um acto de grande coragem.

Ana afonso,
Como já disse à S. e à Rosa, é um acto de coragem, sem dúvida.
Beijinhos.

Anna^,
É isso, estamos todos de acordo aqui nesta caixa de comentários.:)
Beijinhos.

Lobices
Folgo muito em ver-te por aqui, Quim!
Quanto mais raras as visitas, mais apreciadas elas são.:)
E não tens nada que me agradecer: gosto sempre de visitar os amigos e ver que eles estão bem.
Beijinho.:)

7:46 da tarde  
Anonymous O Sical said...

Andorinha
Quando se dá e não se recebe, não implica solidão. Um não dá, paciência. Dão outros. Quando não se dá é a todos. Isto já implica solidão. Mas não só.
A solidão pode ser um acto voluntário consciente. Mesmo um estado de paixão. Cada um saberá.
Eu só me referi áquela que tem muito de egoismo. Nem todas o têm. Mas há muitas que são resultado de egoismo. E cada caso é um caso.

12:37 da tarde  
Blogger andorinha said...

O sical,
"Quando se dá e não se recebe, não implica solidão".
Não concordo. Darmo-nos a alguém e sentir que do outro lado não há correspondência, não há nenhuma troca afectiva, pode significar um sentimento de grande solidão. E não estou a pensar só em relações amorosas.
Claro que também poderá existir a solidão por puro egoísmo, embora considere que será mais rara.
Mas como dizes, cada caso é um caso.:)

3:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home