segunda-feira, janeiro 16

Exemplo a seguir

O governo da Irlanda inseriu no orçamento de Estado para 2006 um forte reforço dos programas dirigidos ao bem-estar das crianças. De país atrasado, pobre e retrógrado, a Irlanda passou a um dos exemplos mais interessantes de uma Europa tendencialmente deprimida, tristonha e pessimista. A bem dizer, não é novidade: os povos conseguem as coisas quando as desejam e têm ganas de as fazer.

Qualquer semelhança com o que se passa aqui em Portugal será pura coincidência!:)

17 Comments:

Blogger Pamina said...

Olá,
Não conheço com detalhe a política irlandesa dos últimos anos, para poder analisar porque é que eles souberam sair do buraco e nós não, mas concordo com o comentário final. Infelizmente.
Boa semana. Um beijinho.

11:06 da tarde  
Blogger Anna^ said...

Uns tentam sair do buraco...nós parece-me q cada vez nos enterrámos mais!Era altura de rever as prioridades deste País...não?

bjokas e continuação de uma boa semana ":o)

11:35 da manhã  
Blogger Rosa said...

Só há uma solução: e-m-i-g-r-a-r!

12:22 da tarde  
Blogger moon said...

Ora viva!

Eu cá (que sou um caso sério) tenho fé que vamos dar a volta por cima. Eu sei, eu sei... As estatísticas dizem o contrário mas, ainda assim, acredito que é possível e que, apesar de tudo, somos um povo muito trabalhador e que suporta muito. O nível de vida a aumentar como nunca, os ordenados congelados, os escalões congelados, os despedimentos na privada a subir em flexa, a precariedade do trabalho para a maioria, a concertação social uma miragem... os constantes escândalos que assolam o nosso país e o tornam muito mal visto pela opinião internacional...
E nós portugueses a aguentar estoicamente isto tudo...! E ainda não estamos todos deprimidos... é obra! Isso prova que somos capazes de muito mais!
Agora, em vez de emigrar (como diz a Rosinha) o melhor era importar uns exemplares da Irlanda, não?!
Já agora, de ali perto, podiam também vir uns da escócia (daqueles da publicidade ao William Lawsons);)
Isso sim, isso é que era mais valia para as portuguesas:)))))))))))))))))))))))))))))
Se calhar, a solução passa por aí...

1:28 da tarde  
Blogger wind said...

Ora bem, por isso é que digo que o povo cá refila, mas acomoda-se e não faz nada. É pena:( beijos

9:39 da tarde  
Blogger andorinha said...

Pamina,
Pois é, nós somos o país que somos e por isso não andamos para a frente.
Beijinhos.

Anna^,
Concordo contigo. Não há meio de sairmos da cepa torta.:(
Beijocas e boa semana também para ti.

Rosa,
Hoje estou de acordo contigo.:) Essa seria uma boa solução e já por mais de uma vez estive tentada a fazê-lo.

Moon,
Ora viva!!!
Não está mal pensado, não senhora.
Importar uns exemplares da Irlanda? Porque não?
Se calhar davam-nos jeito...:)))
Beijinhos.

Wind,
Acomodamo-nos muito, concordo contigo. Como poderemos alterar as coisas com esta mentalidade?:(
Beijos.

9:55 da tarde  
Blogger 365dias said...

esse tipo de atitude deve chegar a Portugal daqui a 10 anos, até lá andamos a copiar receitas já ultrapassadas e que já fora postas de parte por toda a Europa, depois um artista politico lembra-se: olha lembram-se o que estava escrito no blog O céu é o limite no post sobre a Irlanda em Janeiro de 2006, pois e que tal seguirmos o mesmo! nessa altura já os nossos miudos já estão mais que atrofiados.. :-) enfim..

10:43 da tarde  
Blogger andorinha said...

365 dias,
Enfim...vamos sempre atrás dos outros, deve ser sina nossa.:(

11:24 da tarde  
Blogger lélé said...

Não gosto de generalizar, mas aqui em Portugal, tenho reparado que existe em franco crescimento uma inveja doentia (considero que a inveja pode ser benéfica, mas isso é outra história). Se fulano e cicrano estão bem na vida "não há direito, haviam de estar tão mal como eu...". Os termos de comparação também são sempre feitos pela negativa "tás a queixar-te porque te custa a vida, mas repara que aquele está pior que tu...". Acredito que esta mentalidade tenha tido um início, quero acreditar que também vai ter um final...

11:47 da tarde  
Blogger andorinha said...

Lélé,
Não vou tanto por aí, embora inveja doentia sempre tenha existido e vá continuar a existir.
Existe é uma acomodação muito grande, protesta-se muito no círculo de amigos e conhecidos, mas não se passa disso, não se luta pelas coisas, há um clima de desânimo generalizado...se vai ter um final ( e sobretudo um final feliz), não sei...

12:44 da manhã  
Blogger Su said...

"os povos conseguem as coisas quando as desejam e têm ganas de as fazer"

está tudo dito

jocas maradas

8:44 da manhã  
Blogger Ni said...

Post muito oportuno.
Portugal somos nós... todos. Tudo o que está mal é um reflexo, em espelho, de nós.
Estamos mais activos, calamos menos, exigimos mais... o que já é uma forma de SER diferente, mas ainda insuficiente. É preciso protestar, mas FAZER... não esperar que outros façam. E isto é um dedo apontado a mim mesma.

Gostei muito, andorinha. Continua o teu voo harmonioso, porém crítico. Gostei mesmo...

Carinho

Nina Castro

2:07 da tarde  
Blogger andorinha said...

Su,
Também acho.:)
jocas maradas

Ni,
Dizes bem - todos nós somos culpados deste estado de coisas.Falar não chega, é preciso agir.

Agradeço-te as tuas simpáticas palavras. Vou tentando que este espaço seja também um espaço de reflexão sobre nós e sobre aquilo que nos rodeia.
Aparece mais vezes, a porta está aberta.:)
Beijinhos.

6:01 da tarde  
Blogger blue kite said...

Uma dos factores (há muitos outros) que contribuiu para que a Irlanda tenha dado o salto foi a forma como aplicaram os dinheiros comunitários. Onde os aplicaram eles? Não foi com toda a certeza em estradas e estádios. Os estádios são os mesmos e eles nem se candidatas a essas coisas. Ainda hoje para se ir de Dublin a Cork ou Galway é um castigo. Aplicaram os fundos essencialmente em FORMAÇAO em massa dos trabalhadores e nos ditos NICHOS DE MERCADO (produção de software, por exemplo) e ainda maior publicidade ao que já era uma referência (Guinness, por exemplo). E depois apesar de serem um povo bastante critico em relação ao que é nacional, mais entre eles, conseguem centrar lá as coisas e aliciar os estrangeiros a ir e investir. Basta ver até em termos artisticos. Os u2 sairam da Irlanda? Não só não sairam como montaram lá toda a sua máquina, chamando muitos outros artistas que lá vão gravar e etc...

Há alguma comparação com o que se passa no nosso país?

8:01 da tarde  
Blogger andorinha said...

Blue kite,
Concordo com o teu comentário. As opções que se fazem dão os resultados que estão à vista de todos.
Quando sairemos nós da cepa torta?:(

10:21 da tarde  
Blogger blue kite said...

Gostava de dizer que acredito que um dia vamos lá chegar... mas infelizmente estou convencida que não. Porém, esta minha convicção não me impede de lutar para que lá cheguemos...

Vou linkar-te no meu blog, ok?

12:27 da tarde  
Blogger andorinha said...

Blue kite,
Eu também tenho muitas dúvidas, mas também eu continuo a lutar.
Se não o fizermos, ninguém o fará por nós.
Linka-me à vontade:)))
Vou fazer o mesmo com o teu.

4:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home