quarta-feira, janeiro 25

Refrigerantes fora da escola

A França já tinha adoptado a medida e agora os EUA também a tomaram: as escolas públicas estão proibidas de ter máquinas automáticas de venda de refrigerantes.
A norma é apenas uma das inúmeras que fazem parte dos programas de combate à obesidade infantil e juvenil que os dois países já têm em curso. Uma boa ideia para ser copiada pelos Ministérios da Saúde e da Educação do nosso país, pois por aqui a epidemia da obesidade em crianças e jovens também já se faz sentir. Com a agravante de que as máquinas de bebidas açucaradas, chocolates e batatas fritas se encontram quase sempre na passagem para os refeitórios dos estabelecimentos de ensino.

Penso que esta seria uma medida que deveria ser adoptada com urgência pelas escolas portuguesas, pois cada vez se encontram mais alunos obesos devido aos péssimos hábitos alimentares, que assim parecem incentivados pelos estabelecimentos de ensino.

13 Comments:

Blogger blue kite said...

Sim, parece-me bem esta medida pelos motivos expostos.
Embora eu não entre numa escola há muitos anos, isso implica também duas coisas, pelo menos. Por um lado, que os bares das escolas sirvam comida mais apropriada que a das máquinas para que os alunos (e também professores e demais utentes) que queiram ai possam comprar comida de qualidade superior. Por outro lado, obriga a que alguns país não optem pelo facilitismo de "toma lá o dinheiro e depois metes na máquina" e assim se demitam de cuidar da saúde alimentar dos filhos.
Eu ainda sou do tempo em que os ditos bares pouco tinham (queques e sandes e pouco mais) e tinham de ser as mães a mandar de casa a comida.

5:28 da tarde  
Blogger wind said...

Concordo, é de pequeno que se começa a educar no sentido lato da palavra. beijos

6:49 da tarde  
Anonymous O Sical said...

Andorinha

Concordo, mas prefiro a prevenção pela educação do que a proibição. Mas se calhar uma medida drastica e directa é o mais eficaz.
Mas se não se educarem os pais, não há medidas avulso que resistam.

E a propósito. O que dizer das embalagens das latas com abertura de tampa para o interior, pondo-se em contacto com a bebida tudo por onde a superficie da tampa tocou?

7:24 da tarde  
Blogger Pamina said...

Olá,

Também concordo. Com a medida e com uma coisa muito importante que disse o Sical:
"Mas se não se educarem os pais, não há medidas avulso que resistam."
Outro ponto muito interessante que ele aborda é o da abertura das latas. Também me dá nojo e por isso prefiro embalagens de cartão com um buraco para a palhinha. Se se retirar aquela coisinha prateada, por baixo está limpa.

Boa quinta-feira e um beijinho.

11:04 da tarde  
Anonymous Ana Afonso said...

Olá a todos
Não podia estar mais de acordo !! se a maioria das pessoas visse um que um "bost" de açucar faz ás crianças ou adolescentes ou lhe tivesse de dar uma aula de matematica a seguir a um ataque á maquina de chocolates pensavam duas vezes!! nada como evitar criar uma geração de pnes michelen com pernas !! eu assino :)!!
Abraços e sorrisos
Ana Afonso :)

10:32 da manhã  
Blogger Rosa said...

E mainada!

3:53 da tarde  
Blogger 365dias said...

julgo que existe qualquer coisa acerca das máquinas de chocolates colocadas nas escolas, não tenho a certeza mas hei de saber...

4:59 da tarde  
Blogger Anna^ said...

Ora aí está uma medida com a qual concordo em pleno.

bjokas ":o)

7:11 da tarde  
Blogger andorinha said...

Blue kite,
Posso falar pela escola onde estou a leccionar este ano. A comida na cantina é muito razoável, já lá tenho almoçado algumas vezes, mas os miúdos nem sempre lá vão; preferem gastar o dinheiro que os pais lhes dão na tal "junk food" - batatas fritas, refrigerantes, etc.
Penso que aqui os pais não serão os culpados; eles não podem controlar a forma como os filhos gastam o dinheiro.

Wind,
Exacto, os bons hábitos devem-se adquirir desde cedo.
Beijos.

O Sical,
Eu também preferiria a prevenção, mas quando esta não resulta então é necessário tomar medidas.

E tens razão quanto a essas embalagens, não há higiene nenhuma.

Pamina,
Eu penso que aqui o fulcro da questão é outro. Os miúdos têm muito mais informação nesta matéria do que os pais. Eles têm disciplinas em que esses tópicos são abordados - como fazer uma alimentação correcta, que tipo de alimentos devem ingerir diariamente e que quantidades, etc.
O que acontece é que não põem isso em prática e preferem manter os velhos hábitos nada saudáveis.
Isto é quase como o preservativo - sabem que o devem usar, mas não o fazem.
É a velha questão da informação muitas vezes não ser suficiente para alterar mentalidades.
E também prefiro essas embalagens de cartão e uma palhinha - é, sem dúvida, muito mais higiénico.

Ana Afonso,
Tá boa, essa da geração de pneus Michelin com pernas:)))
Beijinhos.

Rosa,
Tá tudo dito.:)

365 dias,
Depois conta...:)

Anna^,
É, já que não vai a bem, vai a mal.:)
Beijocas.

8:04 da tarde  
Blogger luis manuel said...

Por aqui, já se vê tal medida no interior dos Hospitais.
E eu que até gostava de ir tirar aquele chocolatinho, ou um café (meio sim meio não).
Mas é como já li... e em casa ???
Agua! Muita água, deveria ser.
Mas lá vem aquela CC, a 7U, a F etc. etc.
Combater desta forma, poderá ser uma forma de educar.
Assim seja.
Um abraço

1:13 da manhã  
Anonymous O Sical said...

Andorinha
Eu não falei em controlar, mas sim em educar. Não quero ser exemplo, porque o sou mau, mas os meus filhos sempre pediram água em vez de refrigerantes quando eram miudos. Ainda hoje o mais novo, com 17, num restaurante se pede uma bebida qualquer, a segunda bebida já é água. Em casa só bebe água.
Agora se pais há que levam dos hipers caixas e caixas de refrigerantes... !!!
A dona do minimercado da minha rua afirma que são as pessoas de mais baixos rendimentos, inclusive do Rendimento Minimo Garantido, as que compram mais refrigerantes para levar para casa.
Só a educação pode alterar este estado de coisas.

1:21 da manhã  
Blogger MT said...

Na Madeira já há escolas que optaram por essa medida e acrescentaram só vender comida saudável na escola, retiram os chocolates, os bolicaos e etc..

1:21 da tarde  
Blogger andorinha said...

Luís manuel,
Esperemos que estas medidas venham realmente a ser eficazes e contribuam para uma melhor saúde dos portugueses em geral, e das nossas crianças, em particular.
Abraço.:)

O Sical,
Concordo contigo. É tudo, essencialmente, uma questão de educação.
Quando as pessoas estão convencidas de que o que é bom é levar para casa caixas e caixas de refrigerantes...

Mt,
Essas escolas são o exemplo que todas deviam seguir.:)
Beijinhos.

6:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home