quarta-feira, dezembro 14

O nosso cérebro está programado para acreditar

Acreditar em Deus? Em geral, é a palavra "Deus" que focaliza os debates. Como se o facto de acreditar fosse uma disposição perfeitamente aceite, para não dizer natural, no homem. E é justamente o caso! Após alguns anos de pesquisa, trabalhos realizados tanto por neurobiólogos como por especialistas na área da cognição demonstram que a nossa aptidão para crer em algo superior tem origem não no céu, mas no nosso cérebro. É que, à luz de modernos instrumentos de imagiologia cerebral, o nosso encéfalo parece que está idealmente estruturado para aderirmos à ideia de divino. A ponto de se poder falar de uma verdadeira predisposição do homem para o sentimento religioso. Começam a desvendar-se processos cerebrais que sustentam esta misteriosa faculdade. Com uma surpresa de monta: a descoberta do papel crucial de uma pequena molécula naqueles que têm fé!

Até a "fé" é uma questão de moléculas?!
Onde nos levarão estas teorias?

11 Comments:

Blogger Bastet said...

Que interessante este teu post. A provar-se que assim é temos que olhar todo o fenómeno religioso por uma perspectiva completamente diferente. Pode ser uma mudança crucial nas mentalidades. E onde ficam os inúmeros crimes que continuam a ser feitos em nome de Deus?

8:13 da tarde  
Anonymous JE said...

Andorinha - que tema! nas moléculas, na avaria das moléculas, na exaltação delas, por aí, por todo o lado, no horror mais inominável, na paz mais insuportável, por caminhos insuspeitos, por paradigmas perdidos, desde o sempre até ao nunca, o divino sem barbas, sem trovões e sem dedos acusatórios anda por CÁ e, como disse o tal engenheiro, 'místico é tão somente o facto do mundo existir'

12:48 da tarde  
Blogger andorinha said...

Bastet,
Para essa pergunta também não tenho resposta.:)

Je,
Sublinho 'místico é tão somente o facto do mundo existir'.

5:47 da tarde  
Blogger River said...

Em relação à fé religiosa tenho muuuuuuuuuiiitas dúvidas, agora "Acredito" sempre nos outros... (defeito???)

bjs

10:14 da tarde  
Blogger Pamina said...

Também me custa a acreditar, mas hoje em dia têm-se descoberto cada vez mais substâncias responsáveis por comportamentos que pensávamos não serem biologicamente determinados.
Um beijinho.

12:04 da manhã  
Blogger Bastet said...

É bom não sabermos todas as respostas porque assim temos o incentivo de continuar a procurá-las. Um beijo.

12:45 da manhã  
Blogger wind said...

Coloco algumas reticências nisso, agora acredito que o homem teve de criar 1º os deuses e depois deus, porque precisa de algo a que se agarrar. beijos

2:21 da tarde  
Blogger Rosa said...

Eu tenho fé que estas teorias não servem para nada... :)
Até amanhã, miúda!

4:53 da tarde  
Blogger andorinha said...

River,
Eu também acredito nos outros até prova em contrário.:)
Bjs.

Pamina,
Beijinho e até amanhã.

Bastet,
Concordo contigo.
Beijinho

Wind,
Sim quase todos precisamos de acreditar em algo de transcendente.
Beijo.

Rosa,
:)
Até amanhã.:)

9:07 da tarde  
Blogger Lia C said...

É fácil acreditar nisso da fé como resultado do nosso próprio sistema neurobiológico. Mas pergunto-me sempre qual será (ou terá sido) o significado disso em termos de evolução da espécie... porque surgiu, porque se manteve? Era necessário para quê?

Bjs

10:23 da tarde  
Blogger Mitsou said...

Isso levar-nos-ia a pensar na diferença entre as moléculas da "fé". Sendo ela diferente como é. Ou haverá, nalguns casos, também algum gene defeituoso?

5:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home